Imagem: Enviada no Facebook cortada por mim)
Imagem: Enviada no Facebook cortada por mim)

Alvo de constantes menções nos grupos de discussão política da cidade, o abandono de animais é um problema que ultrapassa os limites da baixaria política, é uma questão de saúde pública.

Já discutimos aqui neste site já, sobre a questão do Calazar em Várzea Alegre, que há pouco tempo criou uma crise sem tamanho que abalou as esferas da administração local e representou o início do fim da alta popularidade de Vanderlei Freire, gestor á época.

Entretanto este é um preço que precisa ser compartilhado, pois Várzea Alegre nunca possuiu um programa adequado de destinação dos animais abandonados nas ruas, que sazonalmente voltam a ser problema nas nossas ruas, tendo sido vivenciado praticamente por todas as administrações desde o início dos anos de 1990 para cá.

Segundo o atual prefeito, Zé Hélder (PMDB), o governo municipal está resolvendo pequenos entraves burocráticos para poder iniciar um programa de captura e acondicionamento de animais abandonados na cidade.

Enquanto a situação não se resolve, o risco pela contaminação vinda destes animais é perigo iminente, ao qual todos estamos sujeitos, pois o número de animais soltos é muito grande, bastando percorrer a cidade a pé para perceber.

Em segundo, existem iniciativas de particulares, como é o caso do Abrigo Amigos do Pepe, o qual utiliza as doações de cidadãos para dar um lar e comida para cães errantes em Várzea Alegres.

De qualquer forma, aguardamos ansiosos pela resolução deste problema que parece simples, mas não é, pois é melhor prevenir a proliferação de doenças do que enfrentar os custos da medicina curativa, tanto financeiros, quanto políticos.