Imagem: LAECE OLIVEIRA (Pé no Chão Informativo)
Imagem: LAECE OLIVEIRA (Pé no Chão Informativo)

O trânsito de Várzea Alegre infelizmente consagra-se como de extrema violência e os fins de semana na cidade já são de uma certeza: alguém vai sofrer um acidente. E quando pensamos num local provável para que isso aconteça, a Avenida Nenem Marinheiro é uma aposta quase certeira.

Trecho preferido para os que gostam de pisar um pouco mais o pé, dar aquela testada no motor da moto ou do carro, o trecho que se localiza próximo á entrada do bairro Varjota já é conhecido pelos serviços médicos que prestam emergência a acidentados.

Se puxarmos um pouco pela memória, este ano não nos faltarão tristeza e pesar pelos que se foram ali, e alívio por aqueles que continuaram vivos após sofrerem acidentes naquele local.

Neste sábado, 20 de maio, conforme noticiado em primeira mão pelo repórter Laéce Oliveira, morador do bairro, dois acidentes ocorreram  ali naquele local.

Primeiro uma moto se chocou num animal, e logo após uma moto atingiu uma senhora de 65 anos, a poucos metros de distância e pouco tempo depois.

Além do pesar vem o questionamento: o que pode ser feito para que mais vidas não sejam interrompidas e para que novos acidentes não ocorram.

Em primeiro lugar, a iluminação da via deve ser reposta, com lâmpadas que forneça a claridade necessária para o tráfego seguro de veículos e pedestres.

Em segundo lugar, cada um que trafega por ali – em qualquer via por onde esteja – em seu veículo, deve fazê-lo com prudência, e evitando a mistura assassina entre álcool e direção ou motocicletas.  E muito menos a mistura com drogas ilícitas como maconha ou coca pina, já popularizadas em nossa cidade e já causando alguns estragos no trânsito também.

Esperamos sinceramente não ter que ler nos noticiários a dor de nenhuma outra família em nome da imprudência e irresponsabilidade.